Nilmar fala sobre a luta contra a depressão, e possibilidade de voltar a jogar futebol “To superando a cada dia”

1 6.432

No último domingo, o programa Esporte Espetacular mostrou uma entrevista do ex-jogador e agora comentarista, Roger Flores, com o ex-atacante do Inter, Nilmar. O jogador comentou pela primeira vez sobre a depressão que teve, onde acabou parando de jogar futebol.

Nilmar estava no Santos, mas sem forças para realizar os treinos, e sem vontade de jogar, Nilmar acabou deixando o clube paulista, após 3 meses ao ser contratado, ainda em 2017. Veja alguns trechos da entrevista, feita por Roger Flores, ex-companheiro de Nilmar no Corinthians em 2005.

Qual foi o primeiro momento em que você percebeu que poderia estar com depressão?  Eu relutei um pouco para falar sobre isso porque até pouco tempo atrás eu não me sentia confortável. Eu tive o apoio da minha família mas onde eu diagnostiquei mesmo foi quando eu cheguei ao Santos. Antes mesmo do jogo com o Cruzeiro, na verdade, duas semanas antes, eu vinha me sentindo diferente, até mesmo nos treinamentos, naquele momento da ansiedade de voltar a jogar. Eu vinha de um ano muito conturbado nos Emirados e acredito que isso possa ter sido um dos gatilhos. Mas esse dia específico foi o dia em que acabou desligando a chavinha, como eu costumo dizer. Eu desconectei totalmente e entrei naquele mar que é tipo uma bolha. Quem viveu isso sabe o que eu estou contando. Eu só chorava. Todos os sintomas que vocês puderem pesquisar, eu vivi; insônia, eu não conseguia dormir, mas isso já depois desse caso da concentração”.

“Depois da concentração passei, dois dias no hospital, não diagnosticaram nada e entendi que eu precisava procurar os profissionais. O pessoal do Santos me auxiliou, colocou psicólogo, psiquiatra, comecei a fazer tratamento com medicação. Então aquilo para mim foi um choque muito grande. Eu sou um cara tranquilo e eu me cobrava muito em não querer estar naquela situação, foram três meses ali num processo muito difícil, só quem passa sabe a dor que é”.’ Você não consegue sair, por mais que você lute, mais triste você fica, mais angústia… Só quem enfrentou, quem viveu próximo a isso, e o atleta profissional tem essa imagem de ser um super-herói”.

Você estava voltando para encerrar a tua carreira, para estar perto dos teus familiares, amigos e os filhos? “Esse era um dos motivos que me fortaleciam. Por que isso comigo? Talvez por ter vindo também do interior, ter saído do nada, eu me cobrava muito. Eu não tinha nada, conquistei tudo que eu conquistei na minha carreira e estou passando por isso. Por que eu? E a vergonha de expor, de falar até mesmo para minha esposa. Você pode perguntar se eu pensei em suicídio, não, não é esse nível de depressão, porque isso aí é um nível muito alto e quem faz terapia sabe. Mas é uma infelicidade que você não tinha prazer em nada, nada te motivava, me dava prazer. Meus filhos chegavam da escola e eu não tinha forças para brincar com eles… (começa a chorar) Um dos motivos que me fizeram voltar era os meus filhos estarem maiores e poderem ver o pai jogar. Não ter forças para brincar quando eles chegavam em casa, brincar, dar um carinho, um abraço, eu não tinha forças, era muito difícil”.

“Hoje eu consigo ver que a gente passa uma imagem de super-herói paras pessoas e por trás de tudo, um atleta profissional é muito exigido, é muito cobrado, então sem dúvida nenhuma prejudica até certo ponto. Tudo aquilo que eu vivi foi para fortalecer mais ainda. Hoje estou dando valor às pequenas coisas, que às vezes a gente está num mundo de muito glamour e a gente acaba esquecendo as pequenas coisas da vida. Estou tomando esse tempo agora, melhorei, me reergui, estou mais presente com eles, meus filhos, me dá uma alegria que é estar mais presente. No futebol a gente não está junto por conta das viagens. Todo pai sonha em levar o filho para escolinha de futebol, levar pro colégio e ter finais de semana com eles, isso aí sem dúvida nenhuma me ajudou bastante. A minha esposa foi muito importante nesse momento”.

Muitas pessoas te cobram na rua para você voltar a jogar? Qual é a sua decisão?  Olha, depois que eu saí do Santos, eu sou consciente que está ficando mais distante ainda a volta pro futebol”.

Você acha que está mais perto de anunciar a aposentadoria do que receber uma proposta que te faça mudar de ideia?  Sem dúvida nenhuma. As pessoas me ligam para consultar e ninguém conseguiu ainda me passar algo que eu falasse que vale a pena, um lugar bacana, eu vou tentar”. finalizou Nilmar.

FONTE: GLOBO ESPORTE

Leave A Reply

Your email address will not be published.

1 Comment
  1. Pedro Ferrari says

    que não tente no INTER, por favor… e com essa idade toda cheio de pereba, quer salario de jogador top, tá brincando..

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More